Brasil aumenta investimentos em segurança

Proteger os dados de uma empresa é crucial para que ela continue seus processos corretamente, sem perder as suas informações. Sem isso, tudo se perde e os prejuízos podem ser gigantescos, fazendo cada vez mais necessários os investimentos em segurança.

Os ataques cibernéticos estão cada vez mais frequentes e a melhor alternativa para não ter prejuízos com dados roubados é investir na segurança para conter essas ameaças.

Segundo um estudo realizado pela IDC com 450 empresas da América Latina e Central, o Brasil é alvo de uma quantidade significativa de tentativas de ataques. Argentina, Brasil e México são os países com maior número de ataques detectados de toda a região com cerca de 10 ataques ao ano por empresa. Os bancos do México somam um prejuízo de mais de 90 milhões de dólares ao ano.

Por conta desses ataques frequentes, as empresas brasileiras passaram a investir cada vez mais em cibersegurança. Dentre as áreas disponíveis, os destaques estão para os investimentos em antimalware, firewall, servidores de segurança e segurança móvel. Ataques mais complexos estão rendendo um aumento de 10 a 12% nos orçamentos empresariais dedicados à segurança de dados.

Em 2017, o aumento dos investimentos em segurança foi de aproximadamente US$2,7 bilhões na América Latina e a estimativa é de que esse crescimento seja de 11,5% ao ano entre 2017 e 2021. Além disso, empresas desta localidade investem cerca 16% do orçamento destinado para TI em proteção de sistema, dados e infraestrutura.

Ainda de acordo com o estudo, em 2018 a maior parte das empresas pretende manter (55%) ou aumentar (38%) os investimentos em cibersegurança para não correr nenhum tipo de risco com relação a ataques.

O ideal é sempre ter uma verba destinada investimentos em segurança de dados, assim não há perigo de ciberataque e, consequentemente, as informações estarão sempre protegidas, não comprometendo o bom funcionamento dos processos.[:]